Displasia do Desenvolvimento do Quadril (DDQ)

➡️ A DDQ é uma afecção congênita que altera a relação anatômica normal entre a cabeça do fêmur e o acetábulo. Como principais causas temos o posicionamento intrauterino e partos pélvicos. O posicionamento pós-natal e frouxidão ligamentar podem ter relação.

🔸 Epidemiologia: – 1,5 – 20 casos por 1.000 nascidos vivos;
– 80% é unilateral; – Lado esquerdo 4 vezes mais acometido;
– Meninas 2,4-9 vezes maior chance.

🔸 Diagnostico:
– Clínico: no momento do parto avalia-se a estabilidade do quadril;
– Manobra de Ortolani e Barlow;

🔸 Exame de imagem: -Ultra-som (3-6 semanas);
– Método de Graff, avalia maturação do quadril com base na idade, ângulos formados pelo teto ósseo e cartilaginoso;
– Radiografia (após 4 meses), Avalia-se inclinação acetabular, altura das epífises, posição da cabeça femoral e seu desenvolvimento.

🔸 Tratamento: Varia com idade e estágio da doença. – 2 meses: Suspensório de Pavilik 80% de bons resultados;
– 6 meses até inicio da marcha: redução + gesso;
– 3 anos: Alterações anatômicas mais graves, necessitam melhora programação cirurgia.

👉 Casos diagnosticados tardiamente podem necessitar de abordagem cirúrgica para minimizar complicações e procedimento cirúrgico futuro.

Leia Mais